Mensagem do Gestor

São Paulo 03 de agosto de 2016.

 

Caros Cotistas

 

Voltamos a escrever a vocês com o objetivo de mostrar nossa estratégia para este momento onde a conjuntura econômica, tanto para a economia brasileira, como para a economia mundial os desafios são enormes.

No plano internacional, encontramos vários países com taxas de juros negativas e o desafio é fazer com que o crescimento econômico ressurja. A China é outro fator de muita preocupação, pois a era de altas taxas de crescimento está dando sinais claros de desaceleração e caso haja desvalorização da moeda chinesa o mundo teria que fazer novos ajustes para acomodar a situação.

No plano interno estamos vivenciando um momento de maior otimismo dado o afastamento de nossa presidente e a entrada de novos dirigentes na área econômica. Este fato está contribuindo para que o fluxo de investidores fique positivo e impulsione os índices de mercado.

O PAVA FIA está tendo um bom comportamento também e apesar de nossa performance situar-se pouco abaixo dos índices IBX e BOVESPA estamos bem posicionados com relação à indústria de fundos. O mais importante é que nossa estratégia tem levado em consideração algumas empresas exportadoras e ou empresas cujo faturamento é em sua grande maioria em dólar. Tendo em vista o fluxo de capital entrante no País, o Real tem se valorizado perante a moeda americana e assim diversos investidores tem vendido posições de empresas exportadoras deprimindo suas cotações.

O mais importante é que mesmo com quase 30% do patrimônio alocado em Suzano, Klabin e Frigorífico Minerva que este ano apresentam quedas de mais ou menos 30% na Bolsa estamos indo muito bem. É importante lembrar que as três companhias citadas passaram por projetos muito grandes de aumento de produção e todas elas já fizeram os investimentos para tal fim, assim de agora em diante, a geração de caixa vai aumentar significativamente e a desalavancagem (dividas) vai ocorrer naturalmente. São definitivamente excelentes empresas, pois são eficientes em seus mercados de atuação e possuem gestão de qualidade.

Somos de opinião que este patamar da moeda americana não ajudará o País a exportar produtos manufaturados e também voltará a contribuir para a piora das contas externas em médio prazo. Precisamos lembrar que a taxa de juros atual é uma das mais altas que praticamos nos últimos 10 anos e principalmente em um momento onde as principais economias desenvolvidas estão com taxas de juros quase negativas. Por mais contraditório que pareça esta taxa de juros é que faz com que o dólar caia, pois existe uma abundância de recursos financeiros procurando juros compensadores.

Acreditamos que esta situação deva continuar por mais algum tempo, porém a questão do déficit público é muito preocupante e caso não se tomem medidas duras para estanca-lo vai haver frustrações na confiança destes mesmos investidores. Caso contrário, ou seja, sucesso da área econômica com relação ao déficit veremos uma forte queda nas taxas de juros, fato que ajudará a valorização do dólar frente ao real.

Desta forma continuaremos sem alterações na composição da carteira do Fundo Pava FIA.

Atenciosamente

 O Gestor

 

Os comentários estão desativados.